quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Registro da atividade reazliada em 01.10.2017 - Cultura no Quintal do Quilombo da Parada



E nosso domingo foi assim,  nosso café da manhã servido para os participantes, na sequência começamos  a roda de leitura com o livro Estação Terminal Sacolinha do escritor Sacolinha e em seguida a arte educador conduziu a oficina de Expressão Corporal e Cidadania.  As ideias giraram entorno de incitar os participantes a aprender  e valorizar o espaço onde estamos, depois dos últimos acontecimentos (dois incêndios criminosos no entorno do Quilombo) que prejudicaram inúmeras famílias aqui no bairro, reforçarmos nossas ideias  sobre direitos e deveres  e principalmente de não entrar em mais esse ciclo de violência. Temos passados por várias situações e refletido como elas podem ser resolvidas sem prejudicar a nós e aos outros que aqui estão.

A arte educadora fundamentou sua oficinas seguindo as seguintes diretrizes: Observar o ambiente e registrar aquilo que há de errado, com o objetivo de: Identificar as causas e os efeitos do lixo; Apresentar alternativas para melhorar;  Reconhecer o que está sendo preservado;  Conscientizar sobre o impacto ambiental. Realizou  uma caminhada pelas vias de acesso ao Quilombo observado o que tinha de errado e registrando o que poderia ser melhorado. Exibiu o vídeo: A Ilha (animação).


Na sequência a roda ficou mais linda ainda com o parceiros  Karimá e Furaha da Escola de Capoeira Mutungo, iniciaram junto aos participantes uma pesquisa sobre a Origem da Palavra " Ginga" e foi muito produtiva a troca... tem gente com dores nas pernas, nos braços mas não sai da roda porque capoeira é vida, é arte e educação.

Espia só o que rolou...









































axé pra nós!!!!!




                                   Juliana Balduino

domingo, 1 de outubro de 2017

Incêndio no Estância Jaraguá- Quilombo da Parada




No dia 15.09 que amanhecemos aqui no Quilombo com fogo no terreno ao lado do nosso que só não teve grandes proporções graças ao trabalho de algumas pessoas da comunidade que se mobilizaram para apagar as chamas que quase acabaram com a nossa morada... E no dia 23.09 tivemos um novo episódio que começou por volta das 16hs e durou até a segunda feira dia 25, as chamas só não chegaram em nossa morada, novamente, devido termos parceiros que conseguiram desviar sua rota e resfriar o entorno da casa,  que seguiu queimando e destruindo mais de 400 metros de mangueiras que passam em nosso Quintal e seguem pela mata para abastecer as casas que ficam em nosso entorno.

Nesses tempos quentes e seco a vegetação fica propícia para causar grandes catástrofes e acompanhada da irresponsabilidade das pessoas isso vai se tornando realidade. Em 2013 ficamos praticamente dois anos sem abastecer nossa casa devido um incêndio criminoso, também, que fez com que a nossa mina secasse durante dois anos. Dessa vez, tivemos um pouco de sorte e o abastecimento segue "normal" e o único prejuízo para a Comunidade que ficou quase dois dias sem água em suas casas foi a compra das mangueiras para abastecimento.


Seguimos na luta cotidiana e orientando aos que participam do projeto da importância da preservação e cuidado com a natureza, infelizmente não é um trabalho que atingimos sozinhos, temos ampliado nossas ações  nos espaços escolares da região e esperamos profundamente que um dia essa maldade no coração do "ser humano" ou "seres humanos" que atacam quem lhe oferece abrigo acabe.


Aos donos do fogo e ventos pedimos justiça!!!! A dona das águas nosso agradecimento pela proteção e livramento.





                                                                  "...não mexe comigo que não ando só...que não ando só..."











axé pra nós!!!





                                                                                                         Juliana Balduino

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Registro da atividade realizada em 17.09 - Cultura no Quintal do Quilombo da Parada x Escola Mutungo Capoeira Angola



E nosso domingo começou cheio de novidades...durante o café da manhã a Mirela que é participante do projeto me procurou e disse que quando estava pesquisando para fazer um trabalho escolar encontrou um vídeo que gostaria que todos assistissem, prontamente fui com ela ao computador e ela colocou para nós.  O vídeo de nome Preconceito ( https://www.youtube.com/watch?v=ydFljZ9ZWxs)  contribuiu ainda mais com tudo que tratamos em nosso projeto e que nas últimas semanas  foi amplamente abordado em nossas oficinas e rodas de leitura.  Após o vídeo realizamos a leitura do conto  - A Vingança , de Lande Onawale publicado em Contos Afros organizado pelo Quilombhoje em 2009.  Na sequência realizamos a arte educadora Sirlene Santos deu inicio a oficina de Expressão Corporal e Cidadania com  a exibição do vídeo sobre - Os cinco direitos básicos  das crianças e dos adolescentes fez, também,  a introdução sobre o ECA,  discussão importante já que a maioria dos participantes não sabia o que era e, no final aconteceu a Vivência corpórea  (espelho). Todo esse processo teve por o objetivo fazer com que os participantes pudessem refletir criticamente, suas vivências cotidiana, conhecer e pensar sobre direitos básicos, além, de estimular a dramatização com propostas de soluções. 

E para finalizar o nosso encontro chegou a Capoeira Angola que os irmãos Karimá e Furaha da Escola Mutungo conduziram com muito amor e alegria.

 Cuidar do corpo, do seu nome, dos seus processos, da sua vida e de quem está ao nosso redor são fundamentos para a vida e nosso próprio desenvolvimento.





Yê, viva meu Deus
Yê, viva meu mestre
Yê, viva minha mestra
Yê, quem me ensinou
Yê, viva a todos nós
Camará!!!!



Espia só!!!!!!!

























































axé pra nós!




                                                                                                   Juliana Balduino